sexta-feira, 13 de agosto de 2010

TRABALHO FINAL!!!!!

O final do semestre chegou...e depois de muitas semanas de dedicação chegou a nossa hora de mostrar o trabalho final. Iremos analisar alguns documentos da carreira profissional do nosso querido Professor Doutor Cláudio Gottschalg.

Formado em Eletromecânica pelo CEFET-MG, graduado em Letras pela UFMG com Habilitação em Português e Alemão, Mestre em Estudos Lingüísticos com ênfase em Leitura e Escrita, também pela Faculdade de Letras da UFMG. Doutorado-Sanduíche no Departamento de Lingüística-Computacional da Justus-Liebig-Universität Giessen, Alemanha. Doutor em Ciência da Informação pela Escola de Ciência da Informação da UFMG. Músico e fotógrafo amador. Profissionalmente com interesse nos seguintes tópicos (mas não somente neles): Sistemas de Recuperação de Informação; Lingüística Computacional, Ontologias, Bibliotecas Digitais; Usabilidade; Representação do Conhecimento; dentre outros.

Primeiramente o Professor Cláudio se inscreveu num processo seletivo para a escolha de novos professores para a UnB. Ai está a análise do anúncio que o informou do processo seletivo.


Denominação: Anúncio de vaga para docente na UnB.

Espécie: Anúncio.

Definição: anúncio para profissionais interessados em se tornarem professores da UnB, requisitos e informações de como se inscrever.

Gênero: textual.

Suporte: papel.

Formato: folha avulsa.

Forma: cópia.

Autor: Universidade de Brasília.

Titular: Professor Cláudio Gottschalg.

Função Administrativa: Divulgação da abertura de vaga para o cargo de professor da UnB.

Função Arquivística: Guardar por valor sentimental.

Acesso: Ostensivo.

Como todos sabemos o Professor Cláudio passou um tempo estudando na Alemanha através de um convênio feito entre a UnB e uma Universidade Alemã. Ele também foi responsável por preparar, acompanhar e coordenar as atividades propostas nesse acordo de intercâmbio de alunos e professores. Portanto o primeiro documento a ser analisado será este acordo de cooperação.

Denominação: Acordo de cooperação entre a Fundação Universidade de Brasília e a Universidade Justus Liebig Giessen.

Espécie: Acordo.

Definição: é um acordo define a forma e as condições que a partes em comum acordo propõem a desenvolver continuamente um programa mútuo de cooperação acadêmica, científica e de intercâmbio cultural.

Gênero: textual.


Suporte: papel.


Formato: folha avulsa.


Forma: cópial.


Autor: Fundação Universidade de Brasília.


Titular: Professor Cláudio
Gottschalg.


Função Administrativa: Firmar acordo entre as Universidades.


Função Arquivística: Garantir que as cláusulas do acordo sejam cumpridas e provar que o acordo foi feito.


Acesso: Ostensivo.


E por fim a análise do seu Diploma do Doutorado.

Denominação: Diploma do Doutorado da Universidade Justus Liebig Giessen.

Espécie: Diploma.

Definição: é um documento emitido por uma instituição de ensino que testemunha que a pessoa a quem é concedido completou com sucesso um determinado curso, ou recebeu um grau acadêmico.

Gênero: textual.


Suporte: papel.


Formato: folha avulsa.


Forma: original.


Autor:
Universidade Justus Liebig Giessen.


Titular: Professor Cláudio
Gottschalg.


Função Administrativa: Provar a conclusão do curso.


Função Arquivística: Guardar por valor sentimental.


Acesso: Ostensivo.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

UnB é a primeira instituição pública a aplicar prova digital.


Provas impressas, respondidas à mão e corrigidas dias depois da aplicação estão perdendo espaço para um novo modelo. Avaliações começaram a ser aplicadas em um computador por meio de tecnologia inédita que permite ao aluno saber se foi aprovado assim que termina a prova. A Universidade de Brasília é a primeira instituição pública do Brasil a utilizar o programa. A partir desta segunda-feira, 19 de julho, 639 alunos da UnB serão avaliados por meio do novo sistema nas provas de proficiência de Inglês I e II. O projeto foi desenvolvido pelo Cespe.

A prova digital possui um banco de itens com diferentes níveis de dificuldade. Para cada questão de múltipla escolha é aceita apenas uma alternativa, sendo que as respostas corretas ou erradas indicarão o grau de dificuldade da próxima questão. Se o candidato acerta uma questão, um novo item mais difícil é apresentado. No caso de erro, o sistema seleciona um item mais fácil.

No final da avaliação, o computador fornece o nível de conhecimento em que ele foi classificado, a nota, e dicas de estudo para aperfeiçoar os conhecimentos. O programa foi desenvolvido a partir de pré-testes com as questões que serviram para classificar os níveis de dificuldade das questões.

Segundo Paula, o CAT ainda poderá ser usado em outras disciplinas da Universidade como Cálculo 1 e 2. “Mas, primeiramente, vamos expandir o sistema para o teste de proeficiência em espanhol”, afirma Paula. Concursos maiores como o vestibular, contudo, precisarão esperar mais para ter o sistema incorporado. “É algo que ainda precisa ser estudado. No momento ainda não existe abertura para fazer pré-testes em concursos maiores”.


E aii...será que essa moda pega? Imagina a gente fazendo prova de diplomática pelo computador...pelo menos a nota sairia na hora. Professor solta essa nota logo!!!



domingo, 18 de julho de 2010

Análise de Planos de Classificação


Mais uma vez motivados pelo post do nosso blog-mãe, vamos discutir nessa postagem s diferenças entre os 3 planos de classificação lá apresentados. Eles podem ser acessados em http://4.bp.blogspot.com/_ikkgR84XH9A/TEDzRoOTdUI/AAAAAAAAGdM/Z3xVwowWr-E/s1600/sem+t%C3%ADtulo1.jpg

A primeira proposta de plano é a mais simples, o primeiro nível é formado por 3 divisões, classificações administrativas das atividades desempenhadas pela empresa.

As séries oriundas das atividades de controle de vendas seriam 3: fichas de pedido para implante de memória; 2º via de notas fiscais de vendas ao consumidor; e tabela de vendas de preço ao consumidor. O controle de pessoal criaria apenas uma série de documentos, fichas de cadastro funcional. Assim como a função de registro de publicidade só necessitaria da série prospectos. Esse plano de classificação é apenas uma simplificação das atividades de uma empresa de turimo, uma instituição de grande porte possuiria uma quantidade muito maior de séries e o plano seria muito mais complexo, entretanto certamente as atividades contempladas seriam basicamente as mesmas.

A segunda proposta leva em conta uma classificação estrutural, o Fundo se dividiria em grupos (os departamentos da instituição) e depois em funçoes, baseadas nas atividades administrativas. A partir desse nível seguiria os mesmos princípios abordados no plano anterior. Apesar de no exemplo em questão o seccionamento por departamento ter gerado o mesmo número de divisões do primeiro plano, em outros casos ela se mostraria bastante adequada, dando uma divisão muito mais clara sobre as funções de cada departamento.

O terceiro exemplo de plano leva em conta as atividades da empresa, independente da quantidade de pessoas ou departamentos que as executem. Em uma empresa de grande porte, as vendas são realizadas por uma grande quantidade de pessoas, e certamente existem vários departamentos envolvidos. Já em uma micro empresa uma pessoa pode acumular várias atividades, como por exemplo a de vendas e de publicidade.

Resumindo a ópera, concluimos que o exercíco foi bem didático. Não existe uma empresa que produza apenas 5 "tipos" de documentos, mas certamente essas 3 atividades (Vendas, Pessoal e Publicidade) são inerentes de todos os negócios, independente do tamanho ou natureza. Os 3 esquemas propostos pelo prodessor ainda são adequados para elaborarmos planos de classificação de outras instituições e até arquivos pessoais.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Blog da vez

Pois é pessoal...

Somos o blog da vez desta semana e estamos disponibilizando este espaço para receber
a avaliação de vocês!!!

Visitem, analisem...sintam-se a vontade!
E para ajudar nesta "visitinha guiada" deixamos novamente os criterios de análise:
1- qualidade do conteúdo,
2 - clareza dos assuntos tratados pela equipe,
3-quantidade de postagens,
4 -atratividade em relação ao tema escolhido,
5- interface do blog.

Até mais!!!

domingo, 27 de junho de 2010

Desafio - Blog Fundo de Garagem

Em resposta ao desafio proposto pelos nossos amigos do Fundo de Garagem, elaboramos esse post, após uma árdua discussão, para expor nossas conclusões. Segue um breve resumo do desafio:

Milhares de carros são roubados todos os anos no Brasil, após isso alguns são desmanchados e outros são clonados. Estes são "maquiados" e vendidos, muitas vezes por preços abaixo do mercado. Entretanto, após a realização desse negocio da China, o comprador descobre que o carro era clonado. Diante disso, devemos analisar alguns documentos que possam comprovar legalidade do veiculo, vamos a eles:

  • Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) - O documento original possui marcas que podem distinguí-lo de uma falsificação grosseira. Entretanto, se analisado isoladamente, dificilmente será possível identificar a falsficação, pois como sabemos muitos desses CRLVs falsos são emitidos nos próprios Detrans.
  • Placa do Carro - o mais comum é atentarmos para o lacre que o Detran coloca quando faz a vistoria, mas além disso, existem outros fatores a serem observados. Os caracteres seguem uma padronização, assim como as cores. Além disso, os carros emplacados em cada estado possuem a primeira letra em comum, as placas dos carros emplacados em Brasília, por exemplo, começam com a letra J.
  • O carro também possui elementos que comprovam a sua autenticidade. Em alguns locais podemos observar o número do chassi. Além disso, devemos observar coisas mais lógicas, como a cor do carro e o modelo.
Diante disso, a pessoa que comprar esse carro provavelmente não receberá em casa a multa decorrente do excesso de velocidade. Quem a receberá será o proprietário do carro clonado.

A dica que os especialistas sempre dão é a de duvidar de preços muito diferentes do praticado no mercado. Além disso, é importante consultar a situação do carro junto aos órgãos competentes. Além disso, nunca se deve deixar a transferência do carro para depois, do contrário quem comprar um carro clonado pode responder judicialmente por andar com um carro roubado.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Falando em Documentos de Universidades...

Falando em documentos de universidades...

esta semana a UnB divulgou em seu site a decisão da Câmara de Ensino e Graduação de Reintegração de um aluno cuja matricula foi cassada durante a época da Ditadura.

Iraê Sassi - o aluno em questão - teve sua carreira acadêmica entrecortada por varias ações administrativas nas quais os documentos tiveram papel importante.

O que chama a atenção do leitor é justamente o uso dado aos "instrumentos de prova".

Bem, para quem quiser conferir a história do mais novo calouro da UnB, aí vai o link:

http://www.unb.br/noticias/unbagencia/unbagencia.php?id=3513


É ou não uma questão diplomática?

Fonte:
Textos: UnB Agência. Fotos: Luiz Filipe Barcelos/UnB Agência

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Tarefa da Semana



A atividade proposta consiste em responder as perguntas elaboradas pelos colegas. Entre as perguntas dispostas, nosso grupo decidiu por responder as feitas pelo blog "Escoteiros Diplomáticos". Para aqueles que ainda não conhecem, vale a pena conferir o blog em:

escoteirosdiplomaticos.blogspot.com
Bem, vamos para a atividade laboral...

O conceito de Diplomática variou bastante ao longo do tempo. Até mesmo a função dos profissionais que trabalhavam na área mudou. Na Antiguidade Clássi, a palavra diploma era usada para designar os documentos produzidos pelo Imperador, pelo Senado ou aqueles documentos públicos que giravam em torno da cidadania. Entretanto, com o passar do tempo, foram surgindo novas necessidades e a sociedade necessitou de novas formas de análise de documentos, não somente os produzidos pelo Estado, mas também por pessoas e entidades privadas. Nesse sentido, a Ciência evoluiu de tal forma que hoje a Diplomática está associada a análise do aspecto formal dos documentos registrados, sobretudo os administrativos.

Um dos expoentes das Diplomática Contemporânea, Belloto foi influenciada, entre outros, por paola carucci e Alessandro Pratesi. Esses autores e também a "aprendiz" lograram êxito ao aplicar método diplomático aos documentos modernos. Verifico-se então que o mesmo método utilizado para identificar a autenticidade dos documentos medievais podia ser aplicado na criação, manutenção e preservação de documentos contemporâneos, inclusive eletrônicos.

Nesse sentido, a partir do estudo da tipologia documental, Belloto foi capaz de identificar o contexto de criação do documento. Isso foi excelente, pois desvinculou-se o estudo da tipologia da necessidade fundamental de um organograma ou fluxograma da empresa. Por meio da tiplogia documental, foi possivel recriar o contexto de produção de todo um conjunto documental.